Financeiramente

NOTA: Desloque o rato sobre as barras para obter descrição individual dos valores.
As barras a verde representam a receita gerada (valor da fatura emitida pela EDP) depois de deduzidas eventuais despesas (seguro anual, custos de manutenção/reparação, etc).
As barras vermelhas mostram o saldo para o mês em causa, refletindo o saldo do mês anterior + receitas apuradas. A titulo de exemplo em Janeiro de 2012 a fatura EDP foi de 345,48€, mas como foram gastos 308 Euros no aumento de potência DC, a receita lançada foi de 37.48€ (345,48€-308€).
Na área sombreada a amarelo, os valores são obtidos por estimativa com base na média diária registada desde o início, assumindo 30 dias/mês.

14 respostas a Financeiramente

  1. Monica Silva diz:
    Boa tarde
    Tenho uma dúvida, eu estou coletada como profissional independente (B) mas numa atividade isenta de iva. A produção este ano não vai chegar aos 10.000, não deveria estar isenta do IVA? A EDP não poderia dizer na fatura isenção e não o reter. Ou tenho de dizer à EDP que não quero que me retenha o IVA ficando obrigada a declarar o IVA demonstrando que estou isenta e assim não pagar?
    Obrigada
    • JDuarte diz:
      Bom dia Mónica,
      O IVA terá sempre que ser pago. Se a Mónica está isenta de IVA, a EDP faz a retenção e entrega ao estado.
      Se a Mónica estiver em regime de IVA, a EDP pagar-lhe-á o IVA a si e depois terá de fazer a entrega trimestral ao estado.
      Ao dispor,
      Cmps,
  2. Fernandes diz:
    Boa tarde,
    Ajudo com problema no seu seguidor.
    Cumprimentos
    efernandes@portugalmail.com
  3. JDuarte diz:
    No dia 10/01/2012, o colega José Martins acerca do aumento de potência, escrevia o seguinte:
    “Vi nos seu gráficos um aumento de 550W capacidade instalada. Passaste de 4125 para 4675 (representa um aumento de 13,33%). Como já vi que no teu verão tem vários gráficos Cortados pelo Inversor aos 3800W, será que irás ter um bom ROI para esse investimento?”
    Hoje é o dia certo para confirmar a resposta. Como os custos associados ao aumento de potência foram de 308€, seria necessário produzir 553kWh adicionais para fazer face a esse aumento no investimento.
    Se somar aos 553kWh os 6534kWh produzidos em 2011, teria de produzir 7087kWh em 2012 para que o ROI fosse inferior a um ano… acabaram por ser necessários 10 meses e 3 dias para atingir a marca.
    Quanto ao ROI do projeto na sua globalidade, tudo aponta para que fique abaixo dos 3 anos.
    • Boas,
      Como sabe, sou frequentador assiduo do seu site.
      Das suas contas só consigo dizer uma coisa, deve ser dos microprodutores que mais ganha com esta brincadeira.
      Segundo, ou eu estou a pagar muito caro pelos meus paineis, ou entao voce tem um fornecedor privado baratissimo.
      O meu painel Extra custou-me 460€ (um de 230w). Você conseguio 550W deles, 10 paineis a 308€…
      Comprou isso no mercado negro? 🙂
      • JDuarte diz:
        Olá José,
        Já me conheces à alguns anos e sabes que não gosto de andar por caminhos escuros. Não foi mercado negro, apenas aproveitei o resto de stock do instalador. Não deves esquecer que os ThinFilm são bem mais baratos que os cristalinos. Para “picar” ainda mais digo-te que esse valor foi painéis + estrutura, a mão de obra foi minha, o instalador só veio certificar (recordo-me que o valor dos painéis andava na casa dos 32 cêntimos por watt).
        Já os 10x185W mono tiveram um custo 72 cêntimos por watt + estrutura, tendo o valor final ficado a uns cêntimos dos 1600 Euros.
        Mas José pagar 460Euros por 230Wp é um roubo, pois nem as marcas de topo (Panasonic/sanyo, Sunpower, etc) custam isso. Se tivesse de pagar valores desses deixava-me estar quietinho no meu canto.
        Claro que tenho conseguido bons preços pelo bom relacionamento que tenho com o instalador, porque tirando as “guerrinhas” dos tempos de entrega que raramente são cumpridos, têm sido muito corretos e prestáveis para comigo.
        PS. Existe ainda uma outra razão para estes preços, eu faço retenção do IVA na atividade de microprodução devido ao enquadramento legal que já tinha antes de ser microprodutor e como sabes 23% são sempre 23%, fazem alguma diferença.
        Cmps,
  4. RCoelho diz:
    Bom dia JDuarte
    desde já deixe-me dar-lhe os parabens pelo site e agradecer pelos dados partilhados
    porque esses dados ajudam e muito a quem tem estudado efectuar investimentos na área
    eu pensava que o retorno do investimento ocorre-se sempre depois dos 4 anos…
    eis uma oportunidade de bom negocio (e limpo) que acho que não devemos deixar escapar
    RCoelho
    Ps- não sou vendedor nem instalador apenas pondero investir na área como microprodutor
    • JDuarte diz:
      Obrigado Rui,
      Chamo a atenção que as condições actuais para a instalação de uma unidade de microprodução já não são tão vantajosas e existe uma “nuvem negra” em torno de uma atividade que se quer verde. (veja este link – http://novaenergia.pt/forum/viewtopic.php?f=77&t=15606).
      Quanto à questão do retorno financeiro, se optar por uma boa solução consegue períodos de retorno semelhantes, porque embora as tarifas tenham baixado bastante os preços praticados pelos instaladores têm descido proporcionalmente.
      Se decidir avançar conte com a minha ajuda e experiência na escolha isenta de um boa solução (pois tal como o Rui, também não sou instalador ou vendedor).
      Cmps
  5. Joel Santos diz:
    Bom dia,
    Alguma coisa de muito estranha se passa com a informação deste site…
    Por exemplo nos meses de Julho e Agosto a produção rondou os 880kw, como a tarifa é 0,56€ por kw como é possível ter valores de receita na casa dos 600€? (880×0,56=493€).
    Isto trata-se de coméstica para vender sistemas? Por acaso não é instalador? Cheira-me que os resultados são bons de mais para serem verdade…
    Passar bem
    • JDuarte diz:
      Viva Joel,
      Não sou instalador, não tenho qualquer tipo de negócio na área das renováveis, sou apenas mais um dos que gosta de partilhar a informação numa área que julgo poder ser importante quanto ao nosso futuro.
      Quanto à falta de veracidade da informação, lamento que assim pense, mas está no seu direito, tal como eu tenho o direito de lhe mostrar que está a levantar falsos testemunhos.
      Tal como pode constatar pelas imagens em anexo, os valores recebidos estão corretos.
      Dados da fatura relativa a Julho 2012
      Dados da fatura relativa a Agosto de 2012
      Quanto muito pode questionar porque razão eu recebo o IVA, mas isso eu passo a explicar.
      Quando fiz a instalação, paguei 11200€ ao instalador (10.000€+12%IVA). Como a AT fez uma leitura diferente da legislação, obrigou os microprodutores a registarem a atividade. Em virtude de eu já estar enquadrado no regime normal de IVA tive de proceder à alteração do contrato com a EDP e fazer a retenção de IVA tal como a lei prevê.
      Assim, até Setembro de 2012 estive a ser reembolsado dos 1200€ de IVA que paguei aquando da instalação. De agora em diante, a EDP entrega-me o valor do IVA, que eu mais tarde terei de o entregar ao estado (repare que a fatura relativa ao mês de Setembro já recebeu esse tratamento, o valor do gráfico não contempla o valor total do IVA, apenas foi considerado o IVA até se atingir os 1200€).
      Permita-me dizer-lhe que no seu comentário há um aspeto que me deixa radiante, tenho motivos para estar contente, afinal os resultados obtidos causam dor de cotovelo a alguns dos que por aqui passam.
      Cmps,
      • Nelson Paulino diz:
        Olá JDuarte,
        Eu estou em vias de instalar um micro e até já acertei valores com um instalador. Nesta fase estou a tentar perceber o que devo fazer (criar empresa ou registar-me como ENI) para poder receber o IVA da instalação e obter o retorno do investimento mais cedo.
        Noto que recebe o IVA pelo que se me pudesse explicar como fazer agradecia.
        Já tentei ver junto de um contabilista mas como não entende da matéria ,também não sabe.
        Cumprimentos,
        Nelson Paulino
        • JDuarte diz:
          Viva Nelson,
          Para poder efectuar a recuperação do IVA, terá de se registar como trabalhador independente (cat. B) e mencionar que prevê um volume de negócios superior a 10000 Euros (se o valor previsto for inferior, ficará no regime de isenção de IVA).
          O código CAE indicado para esta atividade é o 35113.
          Na altura da celebração do contrato com a EDP deve informar que pretende movimentar o IVA e depois trimestralmente terá de prestar contas ao fisco.
          Alerto para as consequências da abertura da atividade de microprodutor, dê uma vista de olhos neste tópico do forum novaenergia (http://www.novaenergia.net/forum/viewtopic.php?f=77&t=15606&sid=6c9b07a6305967aaae80ee88857fcdf7)
          Ao dispor,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *